sábado, 22 de novembro de 2008

A vida por trás da cortinas


A vida por trás da cortinas

Abrem-se as cortinas, o espetáculo começa, os artistas em cima do palco tiram emoções e sensações diferentes da platéia; risadas, lágrimas, aplausos. Passa-se meia, uma, uma hora e meia, acaba o espetáculo, a platéia aplaude estrondosamente, fecham-se as cortinas, o público sai, do lado de fora os comentários são diversos , comentam sobre os atores, música, iluminação. Alguém lembrou de comentar sobre quem estava operando a luz, o som ou ainda quem teria feito maquiagem, figurino e cenário? Será que passa pela cabeça dessas pessoas a vida por trás daquelas cortinas? Será que fazem idéia de todo o trabalho, de todo o caminho percorrido até que se abriu as cortinas?
Pois é, um espetáculo não é feito, não acontece somente a partir do momento em que se abrem as cortinas, há todo um trabalho, uma preparação, seja horas ou meses antes. Há diversas pessoas por trás daquelas cortinas, pessoas essas que não aparecem para a platéia e que muitas vezes são esquecidas por esta. Pelo fato de não aparecerem ou pelo fato de se trabalho não ser importante? Prefiro acreditar que seja pelo fato de não se aparecer diretamente para a platéia; pois seu trabalho, não só é importante, como também muito valioso, que merece e deve ser lembrado, respeitado e reconhecido. Pessoas essas como por exemplo figurinistas, maquiadores, diretores, técnicos de luz e som, entre outros. Pessoas que, se não estivessem ali se dedicando, não existiria espetáculo, pois os atores não teriam roupas, maquiagens de acordo com o que se pede o espetáculo, não teriam cenas que se interliga-se entre si, não teriam efeitos de luz e som.
Há ainda meses de preparação, de ensaios, adaptações, exercícios, para que na hora esteja tudo em perfeita ordem. O trabalho não começa quando abrem as cortinas e não termina quando as mesmas se fecham. Depois disso ainda há trabalho, da limpeza do local, até novos ensaios.
Um espetáculo, nunca aconteceu, não acontece e nunca vai acontecer nesse espaço tão curto de tempo. Vale lembrar aqueles da platéia, que só valorizam aquelas pessoas que estão no palco durante aquele tempo de uma hora e meia, pessoas essas chamadas de atores. Existe mais gente por trás disso tudo e que essas pessoas juntamente com seu trabalho fazem toda a diferença, tem um papel tão importante quanto os atores. Essas pessoas egoístas da platéia devem ter em sua consciência que, meses antes daquelas cortinas serem abertas, já existia todo um trabalho e preparação envolvendo vários profissionais, devem ainda saber que, por trás daqueles atores, há pessoas com seus trabalhos de alto valor, seja o faxineiro ou o diretor do espetáculo.
Dê valor a todos os trabalhadores e pessoas, pois no teatro e/ou espetáculo da vida, você poderá estar como ator, mas também poderá estar como aquela pessoa que apenas abre e fecha as cortinas, e estando onde esteja, você vai querer respeito e reconhecimento por você e pelo seu trabalho.
(Everton Rodrigues)

7 comentários:

Lipe disse...

Acho válido ressaltar a importância dessas pessoas, sem as quais o espetáculo não aconteceria ;D
Palmas pra eles!

Anônimo disse...

Rapaz... Muito bom o texto! Múltiplos talentos! Pena não ter podido ir vê-lo em cena... Mas haverá outras oportunidades. abçs
Roberto Borges

Biagger - Porque a falta do que fazer é uma arte! disse...

Esse garoto tem futuro!

Rafael disse...

gostei :D

ta interessante!

parabéns meu bro (Y)

Anônimo disse...

Muito bom te ler, Ewerton! Adorei os seus textos. Continue escrevendo e sempre q atualizar seu blog por favor me comunique!

Mil beijos

Elika Takimoto

João disse...

Concordo com seu pensamento cara, bem que eu tenho pensado nisso ultimamente, e visto pessoalmente como é trabalhoso e vasto esse processo de criação do espetáculo. E até hoje no ensaio eu reparei o quanto faz diferença o som, além de que uma diretora ou diretor é fundamental. A luz ainda não pude experimentar mais sei que sem a luz ia ser mais dificil ainda de preparara a peça. Então, que o profissional que trabalha com todo o processo atrás das cortinas seja lembrado e respeitado!

rodrigo disse...

Com toda certeza, amigo. Afinal, o que seria de "A Megera Domada" se não fosse a tia Joana Limpando todo aquele chão empoeirado em que nos apresetaríamos de roupas pretas?! Agradeçamos pelo belo trabalho ótimo que ela fez, e que nos proporcionou fazer o nosso também.

Grande abraço, Rodirgo Franja .